A mosca que pousou na minha vista

“Agora você tem uma companhia para toda a vida”, disse a doutora sem cerimônias. “Mas não se preocupe, não é nada demais. Com o passar do tempo, piora. Eu tenho isso também. Chama-se mosca volante. Pode começar dando um nome pra sua mosquinha”. 

Saí do consultório e ela estava lá comigo, a mosca. Foi pior do que tentar pegar um ônibus com pupila dilatada. A pupila sempre volta ao normal. Mas a mosca! Esta lá em todos os momentos, como que para reiterar meu diagnóstico.  

Não consigo mais olhar o mar sem perceber sua presença. Até nas minha leituras de ônibus ela se intromete. Já vejo os personagens irritados, abanando as mãos de um lado para o outro, tentando afastá-la de suas histórias. E eu não posso fazer nada, só pedir desculpas e continuar. Talvez piscar bastante, para afugentá-la.

“Às vezes ela vai sumir e você vai pensar que está curada, mas é mentira. Daqui a pouco ela volta”. Pior que propaganda do TRE. E não adiante tentar olhá-la de frente. Ela foge da luta. Covarde! Passeia de um lado para o outro no meu olho. É uma eterna gota cinza no meu céu azul.

Anúncios

Sobre Andréa Maciel

Paulista nordestina naturalizada recifense e entendedora do português lusitano. Estuda Comunicação Social - e adora a comunicação justamente por isso, porque é Social. Acredita em um mundo mais bonito. Acredita em todas as belezas.
Esse post foi publicado em Diário e marcado . Guardar link permanente.

Uma resposta para A mosca que pousou na minha vista

  1. sonia disse:

    Sçonia olh essa mensagem sôbre a mosca nos olhos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s