Por que eu odeio críticos de cinema

O nome da mostra era 2007 em Foco, uma seleção dos melhores filmes do ano segundo a crítica. Confesso que só fui porque ganhei o ingresso, outra das generosidades de Yvana Fechine. Quatro convites para quem quissesse ir assistir. Eu e Caio quisemos. E fomos para o cinema do Shopping Recife, na quinta passada.

Sou do tipo que odeia filmes de terror. Medrosa mesmo, confesso sem escrúpulos. Se bem que, ultimamente, ruas do Recife e ex-namorados me dão mais medo. Não vem ao caso. Entro na fila para trocar meu convite pela entrada. Tenho que assinar uma ata e ainda colocar o número da minha identidade – a qual ainda encontrasse perdida com o meu ladrão. Também não vem ao caso. No papelzinho, meu passaporte para “a sétima arte”, um nome que quase me fez desistir: “Possuídos” (!) (uma péssima tradução para Bugs).

Alguns minutos de conversa com meu vizinho de poltrona e descubro: o filme é do mesmo diretor de O Exorcista! Tudo o que eu queria! Por que diabos (!!) eu vim assistir a esse filme, meu Deus? Como se a vida já não fosse suficientemente assustadora!

George, meu colega de turma, sentado ao meu lado, foi logo alertado: se eu tivesse medo, eu me agarrava no braço dele. Não, eu não tinha segundas atenções, acreditem.

Primeiros minutos de filme. Usei todas as minhas forças para evitar aquela catarse, aquele momento em que parece que vivemos no filme, que os personagens podem ser alcançados se esticarmos as mãos. Isso é só um filme, Andréa, só um filme! Não acredite! Não acredite!

Tanto esforço em vão. Mais de meia hora de filme, duas certezas: não é de horror. É UM HORROR. A velha pergunta (o-que-é-que-eu-tô-fazendo-aqui) ressurgiu com um outro sentido. George foi embora antes do fim. Quando as luzes se acendem, Caio ressurge (ele sempre senta nas mesmas cadeiras no cinema, então ficou longe de mim). Não gostou também. Eu me sinto perdoada. Os críticos consideraram um dos melhores filmes do ano, mas não fui só eu que não entendeu porquê.

Depois do filme, ainda tinha um debate com os tais dos críticos… Só um deles foi. Juro que vi os primeiros minutos da conversa para ver se entendia porque escolheram esse filme. O que ouvi foram comentários sobre as ligações da história com o sexo dos anjos e Vaudeville, de Orson Welles (!!!).

Ai, odeio críticos de cinema!

Anúncios

Sobre Andréa Maciel

Paulista nordestina naturalizada recifense e entendedora do português lusitano. Estuda Comunicação Social - e adora a comunicação justamente por isso, porque é Social. Acredita em um mundo mais bonito. Acredita em todas as belezas.
Esse post foi publicado em Opinião e marcado , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Por que eu odeio críticos de cinema

  1. George disse:

    O FILME FOI REALMENTE UM TERROR!!! OLHA QUE NÃO SOU DE SAIR NO MEIO DA SESSÃO, MAS, NESSE CASO, EU ACHEI QUE JÁ TINHA PERDIDO TEMPO DEMAIS!!!
    CONFESSO QUE ENTRE CINEMA E TEATRO, PREFIRO, DE LONGE, O SEGUNDO. E ESSE FILME SERVIU APENAS PARA CORROBORAR MINHA PREFERÊNCIA…
    AINDA BEM QUE EU TAMBÉM TINHA GANHO CONVITE. SABER QUE EU NÃO PAGUEI PARA ASSISTIR A SEMELHANTE COISA, DE ALGUMA FORMA, É UM CONSOLO! (RISOS)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s