Confissões de uma ladra de histórias alheias

Começo a perceber o que me atrai em filmes: personagens que possam contar histórias para a minha vida. É como se tudo o que eu lesse fosse um livro de auto-ajuda [vide o assassínio de Fausto!], tudo o que eu ouvisse fosse para buscar reflexão (no sentido de espelho mesmo). Eu, egoisticamente, busco a mim nas tramas alheias…

Esse blog, por exemplo, é um (ar)roubo. Libertango é o nome de uma linda música de Piazzolla. E, pra me sentir menos culpada, coloquei uma foto dele na imagem acima, no título (ele é esse moço com o bandoneon). É como se ele me fizesse companhia e dissesse a você:

– Perdoa! Ela não sabe o que faz!

Queria saber como colocar a música aqui pra vocês ouvirem, mas não sei como fazer isso. Se alguém souber, me ensina! Enquanto isso vocês podem ouvir a “rádio” que tem aqui, em homenagem a ele (Piazzolla), a Ella (Fitzgerald) e a eles (os bitous).

Anúncios

Sobre Andréa Maciel

Paulista nordestina naturalizada recifense e entendedora do português lusitano. Estuda Comunicação Social - e adora a comunicação justamente por isso, porque é Social. Acredita em um mundo mais bonito. Acredita em todas as belezas.
Esse post foi publicado em Infausto mundo de Andréa, Música e marcado , , . Guardar link permanente.

7 respostas para Confissões de uma ladra de histórias alheias

  1. asadebaratatorta disse:

    Ê… ;D

    Nada pra dizer…

    é engraçado mesmo essa questão de identificar-se com as coisas. Mas vc escreve também para que os leitores se identifiquem, em certo grau, com você. Não é um duplo egoísmo? Não. Talvez o desejo de ser notada, e algumas vezes, notável.

    ;*

  2. bel disse:

    Agora me diz, para que servem as histórias se não é pra fazer parte da gente a ponto da gente nem saber mais o que é alheio e o que é nosso?
    Viajei? O_o

  3. Rafael Sotero disse:

    Bon ben, só posso sugerir que você continue a roubar coisas legais de outros. Os nomes do final e antigão fausto merecem o roubo que os perpetua. But walk the line, lass! Hasta!

  4. manu disse:

    já ouvi gotan project? eles fizeram uma versão mais moderna da música, 😀

  5. Andréa disse:

    Pois é, bel!!!!! E pode ser viagem! Adoro viajar! =)

    Depois dos comentários, me sinto redimida! continuarei meus delitos! ^^

    Uma versão de Libertango, Manu? N ouvi ainda! Conheço pouco o Gotan Project – n fui mt além da versão d’O Último Tango em Paris… Mas gosto bastante! Valeu pela dica! Vou procurar!

  6. Paulo Motta disse:

    É isso aí, Déa. Não se culpe, não precisa. Se você o faz, a humanidade toda teria de se desculpar também. Somos TODOS ladrões de histórias alheias. Algumas, como o rapaz ali disse, merecem o ‘roubo’ que lhes acometem. Outras, nem tanto. É só pra preencher o vazio mesmo. ;p

  7. Andréa disse:

    Se a polícia passar por esse post, prende todo mundo! ^^ somos ladrões convictos e adeptos da causa!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s